domingo, 8 de julho de 2018

Passeios em São Luís do Maranhão - turismo e acessibilidade.

Desta vez fui com minha família à São Luís do Maranhão. Fomos dar um curso de formação e aproveitamos para ficar mais tempo e conhecer a cidade. Gosto de compartilhar os principais lugares que encontramos com acessibilidade, seja no setor turístico como cultural.
Elenco os principais pontos para quem for a primeira vez, em especial o centro antigo e pontos mais visitados da cidade.
Começo com o Palácio dos Leões, também conhecido como casa do governador. Os visitantes são convidados a usar meias de TNT para circular nos ambientes. O segundo andar do palácio fica aberto à visitação, esse acesso pode ser feito pelas escadarias e elevador. Para visitas com grupos de pessoas com deficiência, em especial surdos, pedem que seja feito um contato com antecedência para providenciarem um intérprete de Libras. Eles fazem uma visita especial com pessoas cegas, podendo tocar em algumas obras. Já realizaram um evento de audiodescrição na área externa. Um lugar muito bonito, que vale a pena todos conhecerem. Entrada Gratuita.
Segue o link para mais informações: http://www.sectur.ma.gov.br/palacio-dos-leoes/#.W0Is4C3Mz0E


Descrição da Foto: Frente do Palácio, um casarão enorme, na cor branca, com três mastros penduradas bandeiras na frente, no primeiro andar. Na frente, uma trilha de cimento e gramado.
 Descrição da Foto: Salão nobre, com um sofá estilo canapé com mesinhas e cadeiras na lateral. Uma mesinha de madeira com tampo de mármore à frente com um vaso e duas grandes janelas no fundo, com dois quadros na parede.

Sede do folclore de São Luís, a Casa do Maranhão conta a história do boi do Maranhão em suas versões regionais. Infelizmente a casa está sem luz devido a chuva e está necessitando uma intervenção na parte arquitetônica. Devido a isso, o andar térreo está fechado e o elevador que dá acesso ao segundo andar está parado. Não tem nenhum outro tipo de acessibilidade. Os educadores acompanham o percurso e o visitante pode tocar em algumas obras e instrumentos, tornando a passeio mais interativo. Entrada gratuita.
Segue o link para mais informações: http://www.sectur.ma.gov.br/casa-do-maranhao/#.W0I-4C3Mz0E
Descrição da Foto:  Foto estilo antigo. Fachada do prédio da Casa do Maranhão. Prédio com um andar, grandes janelas arqueadas e frontispício no centro, com uma grande estrela. Está numa rua de pedras.

Descrição da Foto: Daniella está sentada num banco com Myguel de pé, na frente. Atrás, desenhadas em tamanho grande, os personagens folclóricos Catirina e Pai Francisco. Dois personagens negros, com chapéu. Elas está grávida. Estão sobre uma árvore com mastros coloridos. Estão num grande salão com janelas no fundo e piso de madeira.

O Museu de Arte Sacra fica sediado no Palácio Arquiepiscopal de São Luís, ao lado da Catedral de Nossa Senhora da Vitória.O acervo conta com peças nos estilos maneirista, barroco, rococó e neoclássico, as peças estão bem conservadas e contam com um monitor para mediar a visita. No prédio consta um elevador para acessar o primeiro andar e para pessoas surdas ou cegas, devem agendar antecipadamente a visita, assim como grupos escolares.Cobram uma pequena taxa para visitação. 
Segue o link para mais informações: http://www.sectur.ma.gov.br/museu-de-arte-sacra/#.W0JDQi3Mz0E

Descrição da Foto: Fachada do Museu de Arte Sacra à esquerda, na direita a Catedral Nossa Senhora da Vitória. Os prédios são pintados em amarelo claro com detalhes e janelas brancas. Abaixo, escadarias que dão acesso aos prédios e carros estacionados. No canto esquerdo, uma palmeira.
Descrição da Foto: Em primeiro plano, no canto esquerdo, imagem de uma santa vestida (roca) com túnica e flores nas mãos, dentro de uma vidraça, sobre um pedestal. Atrás, uma santa "do pau oco", toda de madeira, com vestido longo pintado de azul, sobre pedestal. Estão num salão do museu.

Um dos lugares mais bonitos para se assistir ao pôr do sol é na praia Ponta d'areia. O espigão, que serve de quebra-mar, tem 572 metros de extensão. É possível também fazer passeios aos finais de semana e feriados em triciclos e carrinhos motorizados para crianças. Tem grandes brinquedos infláveis e outras atrações para crianças de todos os tamanhos. 
Descrição da Foto: Daniella e Uirá no triciclo com Myguel sentado na cadeirinha da frente. Estão na península do espigão, formada por um calçadão de blocos de concreto e postes iluminados com cerca nas laterais.

Uma das regiões com mais parquinhos infantis fica na Lagoa. Ela tem três espaços que se complementam. No primeiro, um grande foguete, no segundo, brinquedos para crianças pequenas e no terceiro, brinquedos para crianças maiores e dois para crianças que usam cadeira de rodas. Um lugar muito bonito, mas que segundo a própria recomendação do local é bom ir antes das 10h e depois das 16h e levar protetor solar devido ao forte calor. De noite, aos finais de semana tem aluguel de triciclos para toda família. 
Descrição da Foto: Em primeiro plano, na direita, um brinquedo de metal vermelho, como um grande gira-gira, com lugar para crianças se sentarem em bancos, intercaladas com espaços para as cadeiras de rodas. No canto esquerdo, no fundo parquinho de madeira.
Nos relataram que as prais da cidade de São Lui's em sua maioria estão poluídas. Nos recomendaram fazer um passeio de barco por Raposa, pelas Fronhas Maranhenses. Dura um pouco mais de 2 horas. Em área de mangue preservada, estão ainda aguardando virar reserva. Em águas tranquilas navegamos num barco de madeira típico da região. Tem duas paradas para mergulho. As fronhas são as dunas de areia que se formam com os ventos. É um lugar bonito, para toda família. Infelizmente a acessibilidade física é zero. Tanto do porto quanto para entrar e sair do barco. 
Para chegar ao local é possível alugar um carro ou acertar com alguma agência de turismo para pegar no próprio hotel e fazer o passeio. Percebemos que fica bem mais caro dessa última forma. tem praticamente todos os dias, deve observar os horários da tábua das marés.

Descrição da Foto: Daniella está agaixada segurnado Myguel de pé nas dunas. Estão com roupas de banho, chapéus e óculos de sol.

As festas juninas são um dos pontos altos da região. Com muitas brincadeiras de boi, grupos de crianças e adultos se apresentam durante todo o mês, acompanhados das quadrilhas típicas. Podem assistir em praças públicas até shoppings. Vale a pena conhecer!

Descrição da Foto: Vista de cima, um homem com fantasia de boi, bordada de dourado, vermelha e tecido preto., dança com uma bailarina vestida com um macaquinho azul, com plumagem na cabeça e botas. Envolta, várias passistas com fantasias coloridas lembrando vestimenta indígena e no fundo músicos tocando.

domingo, 1 de abril de 2018

Playground Criança Cadeirante - Campinas

O parquinho inaugurado recentemente na Pedreira do Chapadão, em Campinas, conta com quatro novos brinquedos instalados ao lado do parque para crianças com os brinquedos tradicionais. Uma inciativa de tornar mais acessível para crianças com deficiência física. Refizeram a entrada do parque melhorando o piso até o parquinho. Também há lugares mais próximos para estacionar  para pessoas com deficiência física cadastradas no DETRAN.
São quatro brinquedos, entre eles um carrossel com quatro lugares, dois sentados e dois lugares para encaixar a cadeira de rodas, um balanço com dois lugares de frente, um para uma cadeira e outro para encaixar a cadeira de rodas, um balanço comum e uma casinha com escorregador e tanque de areia. Nestes dois últimos chama a atenção da falta de acessibilidade para crianças com deficiência física. Pensando dessa forma apenas 50% do parque está acessível. Válida a iniciativa para pensarmos que parques poderiam ser pensados em sua totalidade, crianças com outras deficiências poderiam também se beneficiar de outros brinquedos. 
Uma sugestão que deixo ao parque que possui uma área vasta verde é de implantar um jardim sensorial, com acesso físico para todos. Pensado para todas as crianças. 
Já tiveram um acidente no parque envolvendo uma criança na cadeira de rodas que caiu do brinquedo por estar girando em alta velocidade. Como aprender se não na convivência, e ela deve ser mediada e de responsabilidade de todas as famílias. 
Que as próximas iniciativas contem com a presença de especialistas que possam pensar juntos com as famílias de pessoas com deficiência e usuários do parque como se apropriar de espaços públicos de forma que respeitem a igualdade de direitos e que todos se sintam bem-vindos!

Audiodescrição: Fotografia de um parquinho de diversão, com uma placa no canto esquerdo. No fundo árvores e chão de cimento. 

Audiodescrição: Fotografia de crianças brincado no parquinho, rodeado de árvores e chão de cimento.

sábado, 27 de janeiro de 2018

Lançamento do Livro: Histórias de Baixa-Visão.



Descrição da Foto: Auditório da livraria com os autores sentados ao fundo junto ao banner com a foto do livro, enquanto a plateia assiste.

Um grupo de 19 pessoas com baixa-visão, de regiões diferentes do Brasil, se reuniram através do Whatsapp e pensaram em relatar suas histórias de vida compartilhando, diferentes olhares e realidades diversas. 

Vale a pena conhecer! 

O livro pode ser comprado impresso e em formato digital pelo link:  https://editoracrv.com.br/produtos/detalhes/32599-historias-de-baixa-visao

O lançamento do livro em São Paulo aconteceu hoje, na Livraria da Vila, com direito ao autógrafo dos autores. Gostaria de parabenizar à todos, em especial a organizadora Mariana Baierle pela iniciativa.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Filme Extraordinário - Wonder.

Descrição da Foto: Menino de pé com um capacete de astronauta, usa jaqueta verde sobre camiseta amarela e calça jeans. Fundo azul claro. No topo em branco os nomes dos atores principais, mais abaixo o título Extraordinário.

O filme Extraordinário, no original Wonder, com os atores principais Júlia Roberts, Owen Wilson e Jacob Tremblay, conta a história de um menino com uma deformidade facial devido uma doença genética que começa a frequentar a escola no quinto ano.
Quem é o extraordinário? Baseado em um livro com o mesmo nome, vamos conhecer um pouco da vida de Auggie. Em um narrativa poética, o filme expõe os desafios que toda a família de uma criança com deficiência enfrenta quando pensam em colocar seu filho na escola.
Sobre o ponto de vista de cada um dos personagens principais, as histórias se entrelaçam dando vida história de Auggie.
O bulling também é um tema importante narrado. A dificuldade de cada aluno em lidar com a diversidade humana e o quanto suas famílias e a forma como são criados influência nisso.
É uma pena que tornamos heróis meninos que simplesmente tem a intenção de pertencer. Sim, fazer parte é o desejo que muitas crianças com deficiência vivenciam quando entram numa escola. Não seria esse o desejo de todas ne suas famílias? Sim, temos mais coisas em comum do que imaginamos.
Como não pensar nos dias de hoje nas tentativas de implementação da inclusão. O desejo de muitos pode ser o sonho de poucos. Nos desafios que cada família enfrenta ao se deparar com um não. Não estamos preparados, não são bem-vindos, ainda não fizemos todas as adaptações necessárias.
E quando será esse tempo se não agora. Temos leis que garantem o direito de todas as crianças frequentarem uma escola. Vamos garantir a qualidade. Cada um fazendo sua parte, a direção oferecendo um espaço digno e adaptado para as necessidades de todos, os professores se sentindo capacitados para exercer a formação, as famílias colaborando com o processo educacional, o aluno com deficiência com todas as adaptações necessárias para desenvolver seu aprendizado e os outros alunos e seus familiares abertos para criar laços, baseados no respeito.
Extraordinário, prepare-se para se emocionar e mergulhar no universo da inclusão escolar. Saber como cada um, a sua forma, pode fazer a diferença na vida de uma criança.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Exposição Una Shubu Hiwea – Itaú Cultural.

A exposição Una Shubu Hiwea – Livro Escola Viva do Povo Huni Kuĩ do Rio Jordão é composta por contos tradicionais dos Huni Kuĩ. São 13 mitos que contam a origem desse povo e de seus costumes. Além das narrativas, conta com a impressão de um livreto que traz textos sobre a cultura Huni Kuĩ. 
A exposição tem organização do pajé Dua Busë e de outros representantes Huni Kuĩ. Contam com intérprete de Libras para o público surdo e um audiobook com a gravação da audiodescrição para o público cego e com baixa-visão. A audiodescrição tem um roteiro interativo, com sensores em diferentes pontos da exposição. Também tem a possibilidade de tocar três peças indígenas originais da exposição e uma maquete tátil da exposição.

Descrição da Foto: Em primeiro plano, mapa tátil da exposição com contornos, braille e letra em relevo. No fundo, parte da exposição no chão e um mural com desenhos indígenas na parede.

Descrição da Foto: Dois troncos cortados como apoio de uma maraca no canto direito e no esquerdo um novelo com um bordado indígena. No fundo, chão de terra com cestarias e objetos de adornos de madeira.


Visitação
De 06 de Dezembro até terça 13 de fevereiro de 2018.
terça a sexta 9h às 20h [permanência até as 20h30]
sábado, domingo e feriado 11h às 20h.
Entrada Gratuita

Ocupação Nise da Silveira - Itaú Cultural.

A mostra homenageia a psiquiatra Nise da Silveira e conta com obras do Museu de Imagens do Inconsciente, criado por Nise, além de documentos e entrevistas com pessoas próximas à sua obra.
Um espaço interativo que conta com intérprete de Libras e o educador Edinho no atendimento ao público surdo e a gravação de Audiodescrição de um vídeo e algumas obras. Uma delas foi feito uma maquete tátil. Também é possível caminhar na exposição através do piso podotátil. Ele lhe conduzirá ao final da exposição a uma mesa com atividades com papéis e bastidores com linhas e agulhas.

Descrição da Foto: Espaço Expositivo em primeiro plano cortina feita com fios transparentes e losangos de espelho colados. No canto esquerdo, quadros na parede e no chão piso podotátil.


Descrição da Foto: Fotografia de pintura com fundo colorido, dois olhos no canto superior e um desenho de uma pessoa pintada de branco de pernas cruzadas de costas. Abaixo dados do quadro e detalhes da obra da prancha tátil.

Visitação e Ateliê Vivo
sábado 25 de novembro a domingo 28 dejaneiro de 2018
terça a sexta 9h às 20h [permanência até as 20h30]
sábado, domingo e feriado 11h às 20h
Entrada Gratuita

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

8º edição do Festival de Cinema Assim Vivemos.


Descrição da Foto: Imagem do filme 50xRio, com Alex Zanardi, um paratleta em sua handcycle, correndo numa estrada.

A mostra conta com 32 produções de 20 países com o tema Amor.
Aconteceu no Rio de Janeiro, Brasília e agora em São Paulo, ate domingo dia 01 de Outubro. Tem entrada gratuita e programação livre, no Centro Cultural Banco do Brasil. 
Uma parceria que acontece já alguns anos,  tem selecionado filmes para mostra que tem como protagonistas as pessoas com deficiencia e o apoio de sauas famílias. Relatam "questões relacionadas à autonomia e estratégias encontradas para  superar as limitações. Em todas as seções é possivel encontrar a audiodescrição, catálogos em braile, legendas para Surdos e interpretação em LIBRAS nos debates, quanto a acessibilidade física, o CCBB tem arquitetura concebida para garantir o acesso de pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes." 

A programação completa pode ser encontrada pelo link: http://www.assimvivemos.com.br/2017/pt/programacao-sao-paulo/